Nessa 3a feira, 30/09: Lançamento da Campanha Unificada: Liberdade para Caio Silva, Fábio Raposo, Rafael Braga e Extinção de Todos os Processos Políticos.

lançamento de campanha

Lançamento da Campanha Unificada: Liberdade para Caio Silva, Fábio Raposo, Rafael Braga e Extinção de Todos os Processos Políticos.

Quando os direitos de uma única pessoa são tirados, roubados, os direitos de todos ficam em risco. E é esse risco que está claro nos casos do Caio Silva, Fábio Raposo, Rafael Braga e dos 23 indiciados em apenas um de tantos processos políticos do Rio de Janeiro. Caio Silva, Fábio Raposo e Rafael Braga são presos políticos dos governos Cabral/Pezão e Dilma e seus ministros. O desejo do Estado é fazer o mesmo com os 23 perseguidos políticos do processo do dia 12 de julho de 2014. Mas seguiremos na luta incessante pela libertação dos presos e pela extinção dos processo de perseguição política.

Rafael Braga foi preso no dia 20 de junho de 2013 por portar Pinho Sol e desinfetante. Morador de rua que ganhava a vida guardando carros e vendendo material reciclável, foi condenado a 4 anos e 8 meses de prisão. O laudo pericial da Polícia Civil do Rio de Janeiro atesta que o material que Rafael portava não poderia ser usado como explosivo, mas o judiciário ignorou o laudo e mesmo assim Rafael segue preso no complexo penitenciário de Bangu. A prisão dele deixa explícito o perfil de criminalização do poder judiciário brasileiro e seu completo descomprometimento com qualquer aspecto de justiça e democracia: são os negros, são os pobres, são os ativistas políticos e sociais.

Caio Silva e Fábio Raposo são vítimas de um julgamento do monopólio de comunicação. A acusação de homicídio doloso (quando há intenção de matar) triplamente qualificado não passa de um impropério, um absurdo e uma aberração. É mais do que claro que não houve qualquer intenção de matar ninguém, e a trajetória errática do artefato da fatalidade só confirma que tudo não passou de uma infeliz fatalidade. Esses jovens ativistas estavam nas ruas lutando pelos direitos de todo o povo. Caio e Fábio foram julgados por uma mídia institucional raivosa, que esqueceu de questionar como a Band, então empregadora do Santiago, o enviou para uma área de conflito sem qualquer proteção individual (EPI). Eles foram usados de bode expiatório enquanto lutavam exatamente contra os absurdos que envolvem a criminalização de pessoas como o próprio Rafael Braga.

Os 23 indiciados no processo do dia 12 de julho de 2014, véspera da final da Copa do Mundo, são outra aberração jurídica do Estado do Rio de Janeiro. Respondem por formação de quadrilha armada, quando muitos nem sequer se conheciam e a arma em questão (um único revolver registrado e legal) era de propriedade do pai de um dos acusados, o pai do acusado trabalha de segurança privado. É um processo repleto de irregularidades, desde escutas telefônicas envolvendo advogados até quebras de sigilo de internet que ferem o Marco Civil da Internet. Esses 23 jovens (estudantes e trabalhadores), estiveram presos no complexo penitenciário de Bangu e hoje vivem a incerteza de um processo de perseguição política. Esse processo é mais uma clara demonstração de que não vivemos em um Estado Democrático de Direito e sim em um Estado de Exceção. Essas prisões e perseguições políticas são uma ameaça não somente aos movimentos sociais e políticos, mas sim uma ameaça à toda a sociedade. Esse processo deixa clara a condição de perseguição explícita à todos aqueles que se levantam contra esse modelo de Estado que vivemos. É urgente a extinção completa desse processo absurdo, montado de forma à caçar as liberdades democráticas de manifestação política e do pensamento.

Por todos esses motivos nós, familiares dos presos e perseguidos políticos, nos unimos em luta e convoca todos para aderirem à campanha pela liberdade de Caio Silva, Fábio Raposo, Rafael Braga e Extinção de Todos os Processos Políticos.

Participarão desse ato os ilustres convidados:

– Dr. João Tancredo
– Dr. Marino D’Icarahy
– MM. Juiz Jorge Luiz Souto Maior
– Comissão de Mães, Pais e Familiares dos Presos e Perseguidos Políticos
– Marilene Silva (Mãe do Caio Silva)
– CEBRASPO (Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos)
– FIP-RJ (Frente Independente Popular)

À CONFIRMAR

– Professora Cecília Coimbra
– Comitê Pela Liberdade de Rafael Braga
– Família do Fábio Raposo

Local: UFRJ – Praia Vermelha – Auditôrio de Serviço Social

Dia: terça-feira, 30/09/14, 18h.

 

lançamento da campanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s