Via Cebraspo

“(…)É absurdo isso tudo. Por isso que eu chamo a DRCI de Novo DOPS*. A gente não lutou tanto para em 1988 conseguir fazer com que esses bancos de dados fossem abertos e destruídos? Pois bem, agora eles estão criando um novo. Hoje a DRCI é o departamento que assumiu a frente dessa prática de polícia política e social.”
Dr. Marino D’Icarahy, advogado de presos e perseguidos políticos.

*DOPS: Departamento de Ordem Política e Social atuante principalmente no Estado Novo e durante o regime militar fascista

Apenas no inquérito da DRCI (Delegacia de Repressão aos crimes de Informática) que deu origem ao processo e aos mandados de prisão de 23 ativistas durante a Copa da FIFA, foram citadas diversas organizações populares, movimentos sociais, comunidades e páginas de internet. Isso e outros trechos do inquérito e arbitrariedades da delegacia demonstram o papel da DRCI na repressão política no Rio de Janeiro.

Organizações citadas:

FIP Frente Independente Popular;
FIST – Frente Internacionalista dos Sem Teto;
FNT – Frente Nacional dos Torcedores;
Grupo de Luta dos Petroleiros;
MEPR – Movimento Estudantil Popular Revolucionário;
MFP – Movimento Feminino Popular;
MRP – Movimento de Resistência Popular;
OATL – Organização Anarquista Terra e Liberdade;
Oposição de Resistência Classista – ORC;
RECC – Rede Estudantil Classista e Combativa;
Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência; Universidade Indígena Aldeia Maracanã;
Unidade Vermelha;
Dia do Basta,
Ocupa LAPA;
Ocupa Câmara;
Ocupa Cabral;
Anonymous Rio;
Black Bloc RJ;
Mídia Ninja;
Coletivo Mariachi;
Coletivo Calisto;
Coletivo Rebaixada;
Coletivo Tempo de Resistência;
Coletivo Desentorpecendo a Razão;
Coletivo Rosa dos Ventos;
Coletivo Vinhetando;
Coletivo Projetação;
Coletivo Margaridas Urbanas;
Coletivo SUBURBAGEM;
Coletivo Das Lutas;
Coletivo SerHurbano;
Coletivo Inimigos do Rei;
Coletivo Vô Pixá Pelada;
Coletivo PACAL;
Coletivo PaguFunk;
Instituto Raízes em Movimento;
Alemão de Noticias;
Complexo do Alemão;
Jornal Voz das Comunidades;
Mulheres de Atitude – AMA;
Barraco #55;
Descolando ldeias;
APAFUNK;
Porque Eu Quis;
Favela não Se Cala;
Fórum Social de Manguinhos;
Fórum Rode da Juventude;
Favela em Foco;
Norte Comum;
Observatório de Favelas;
Observatório de Conflitos Urbanos;
Fala Roça;
Marcha Mundial das Mulheres – MMM;
Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência;
Rio Na Rua;
Grupo Teatro da Laje;
Surbanitas;
Núcleo Socialista da Tijuca;
Linhas de Fuga;
Fórum Popular de Apoio Mútuo;
Movimento Direito Pra Quem;
Arteiras;
Rede de Instituições do Borel;
Ocupa Borel;
Fora do Eixo (criador da Mídia Ninja);
Mídia Independente Coletiva – MIC;
Tem Morador;
Suburbano da Depressão;
Movimentos Cidades Invisíveis;
Comitê de apoio ao jornal A Nova Democracia;
Favela Não Se Cala;
Sindsprev;
Sindpetro;
SEPE.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s