NOTA DA FIP-RJ SOBRE O IV ENCONTRO CONTRA O AUMENTO

A Frente Independente Popular do Rio de Janeiro (FIP-RJ) saúda os companheiros e as companheiras que participaram do IV Encontro Contra o Aumento. Frente a mais uma arbitrariedade dos governos Dilma, Pezão e Paes, centenas de pessoas enfrentaram a onda de criminalização e de perseguição política e mostraram-se dispostas a seguir na luta.

A FIP-RJ reforça sua posição contra o aumento da tarifa. Entende, entretanto, que essa luta não pode estar desvinculada das outras lutas populares contra as políticas burguesas: arrocho salarial, redução dos direitos trabalhistas, aumento da luz e da água, perseguição política e prisão de ativistas, o extermínio diário do povo negro e pobre – na cidade e no campo – etc. Tratar o aumento das passagens como uma luta exclusiva é esvaziar a pauta politicamente.

A FIP-RJ repudia o que ocorreu no IV Encontro Contra o Aumento, já que não foi realizada uma discussão política. A própria plenária iniciou com uma proposta de ato feita pelo Movimento Passe Livre do Rio de Janeiro (MPL-RJ), que se colocou como “mesa” e controlava o microfone. A proposta de já sair em ato foi votada rapidamente, sem espaço para defesa. Ou seja, o Encontro já começou tendo uma proposta que visava terminá-lo sem debate. O que acarretou, por exemplo, a não organização do ato de sexta-feira, dia 09/01.

O mais grave ocorreu quando a “mesa” recusou-se a encaminhar a votação proposta pela FIP-RJ de que os governistas (PT, PCdoB etc) não participassem nem construíssem o Encontro. Essa proposta foi feita desde o I Encontro Contra o Aumento e até agora não foi votada. O MPL-RJ impediu a discussão política, deixando claro que queria evitar o debate para não ter que mostrar sua posição conciliadora ao construir a luta popular com o governo.

A Rede Globo esteve no Encontro e noticiou um ato em seus jornais. A polícia parecia saber da realização do ato antes da plenária e dos movimentos sociais, já que estavam a postos pelo Centro – até mesmo em alguns trajetos propostos.

Dessa forma, o MPL-RJ, junto aos governistas, evitou o debate e colaborou com a repressão. A FIP-RJ repudia esse método e reafirma que não sentará com os governistas para construir a luta popular – contra o próprio governo! E é esse mesmo governo que está aumentando a tarifa. Para isso, articula, inclusive, uma manobra junto ao Ministério Público e ao Poder Judiciário do Rio de Janeiro: o governo aumenta para R$ 3,40 e o Ministério Público exige R$ 3,20, legitimando o aumento de vinte centavos ao invés de quarenta. Mas, ainda assim, aceita um aumento abusivo.

Qualquer aumento é um roubo, uma violência contra o povo. E quem está junto com os governistas legitima esse aumento e serve de ferramenta a quem nos oprime. A quem oprime o povo.

Por isso, a FIP-RJ convida ativistas, grupos políticos e movimentos sociais a participar da plenária unificada, construída com diversos movimentos, contra o aumento da tarifa e pela liberdade de todxs os presos políticos, que ocorrerá dia 06 de janeiro (hoje!), às 18 horas, no IFCS. A FIP-RJ entende que é necessário construir um espaço sem governistas e que unifique as lutas.

Contra o aumento!
Pela liberdade dos presos políticos!
Lutar não é crime!

Link do evento da plenária:
https://www.facebook.com/events/969840916364075/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s