Calendário (informes da plenária de 26/2/14)

– 27/02: Reunião no ANDES para construção do Congresso Indígena (16h);
– 27/02: Reunião com Favela não se cala e outros movimentos para preparar calendário de lutas (ADIADA);
– 01/03: Panfletagem da nota de repúdio da FIP no bloco Pula Roleta (praça da Cruz Vermelha, 17h);
– 05/03: Reunião da CO;
– 07/03 e 10/03: Panfletagem para o ato da copa (16h, Central);
– 10/03: Plenária da FIP às 19h no IFCS;
– 12/03: Creche da FIP para o ato;
– 13/03: Debate na PUC sobre mobilidade urbana;
– 13/03: Atividade dentro do calendário da semana da mulher, GEP-UERJ;
– 15/03: Comemoração do fim da semana da mulher com atividade na Ladeira do Livramento (GEP);
– 19/03 e 27/03: Seminário FIP da Comuna de Paris;
– 21/03: Ato contra o estado genocida e o racismo (para construir junto a outros movimentos);
– 07/04 a 11/04: Semana de graduação de Filosofia – UERJ (FIP convidada pra debate);
– 07/05 a 12/05: Congresso Indígena Aldeia Maracanã.Notas e outros aprovados em plenária:

– Nota de apoio ao Quilombo das Guerreiras;
– Nota de avaliação do ato do dia 25/02;
– Contribuir para vídeo sobre a questão da mulher (GEP).

Anúncios

Ato Unificado Contra a Criminalização das Lutas pelo Estado e a Imprensa Fascista, 25/2/14

ato contra fascismo

 

Está indignado com o sensacionalismo da grande mídia?
Só reclamar não vai adiantar NADA! PRECISAMOS ir às ruas demonstrar que não capitularemos frente à ofensiva sensacionalista dessa IMPRENSA MENTIROSA e desse Estado corrupto!
Que não aceitamos a criminalização da luta do povo e nem as leis de exceção de Cabral e Dilma, como a famigerada lei anti-terrorismo!

Panfletagem da FIP na Central do Brasil, sexta-feira, 21/2/14.

panfleto_nota_ato contra criminalização A4
A Frente Independente Popular – RJ fará uma panfletagem na próxima sexta-feira, dia 21/02, a partir das 16h (concentração).O panfleto é a Nota de Repúdio à Criminalização das Lutas Populares da FIP-RJ, com a convocatória para os atos do dia 25/02 (Contra o fascismo dos monopólios de Imprensa…) e 12/03 (Não Vai Ter Copa).Quem puder imprimir/xerocar os panfletos, agradecemos. Precisamos de toda a ajuda possível para conseguirmos uma grande quantidade.

Exibição do documentário “Remoção”, evento de Favela Não se Cala

 

O Favela Não Se Cala e a Lapilar Produções convidam todos os companheiros e companheiras da luta pelo direito à moradia, para a exibição do documentário “REMOÇÃO”, SÁBADO, 15 de Fevereiro. Serão duas exibições, confiram os locais e horário:

Horto
Dia: 15/02 – Sábado
Horário: 10h…
Local: Clube Caxinguelê

Caju
Dia: 15/02 – Sábado
Horário: 19h
Local: Praça do Campinho – Chatuba

Na exibição do Horto estará presente no debate o Professor Miguel Baldez, que vai levantar questões sobre a luta pela terra urbana, destacando o como o Direito tem sido a ferramenta que o Estado utiliza na produção da cidade capitalista e, por conseqüência, para produzir a gentrificação, ou seja, o enobrecimento dos territórios conquistados e ocupados pelos pobres urbanos.

SERVIÇO
Documentário: “REMOÇÃO” trata da remoções e da trajetória dos moradores dos conjuntos habitacionais: Cidade de Deus, Cruzada, Cidade Alta, Padre Miguel, etc. Depoimentos de moradores, pesquisadores. Além de triste história do governo, uma linda e emocionante história dos moradores. Direção: Luiz Antonio Pilar e Anderson Quack

Nota de repúdio à criminalização das lutas populares

nota de repúdio à criminalizaçãoA Frente Independente Popular do Rio de Janeiro (FIP-RJ) vem a público repudiar a campanha orquestrada pela imprensa burguesa e pelo Estado brasileiro, que visa desmobilizar e criminalizar os protestos populares. É vergonhoso que a morte do trabalhador Santiago Andrade, que exercia sua profissão sem as mínimas condições de segurança no trabalho, seja utilizada para tentar manipular a opinião das pessoas com o objetivo de jogar povo contra povo. O acidente ocorreu durante um conflito iniciado pela polícia. Santiago e sua família são vítimas da política de brutal repressão aos protestos desencadeada por Sérgio Cabral e José Mariano Beltrame. Muitas outras pessoas, inclusive jornalistas, já foram feridas e mesmo mortas em manifestações e o monopólio de imprensa sequer noticiou. Em virtude disso, a FIP-RJ não dialoga com a Globo, Bandeirantes, SBT, Record etc.

Condenamos a postura provocadora e antiética do advogado Jonas Tadeu, defensor de milicianos, que está usando seus clientes para tentar desmoralizar o movimento popular. É leviana a acusação de que as manifestações são financiadas. O povo vai para as ruas lutar pelos seus direitos diariamente desrespeitados. Os protestos têm como base a ampla insatisfação da população com as atuais condições de vida. Basta ver as diversas revoltas populares ocorridas em nossa cidade nos últimos dias como, por exemplo, na Praça Seca, Engenho Novo ou na Supervia. A Frente Independente Popular jamais financiou qualquer militante para participar de manifestações. Lutamos pelo povo e com o povo.

É com medo de que o aumento das manifestações comprometa a realização da Copa do Mundo que inúmeras medidas repressivas estão sendo tomadas. A Lei Antiterrorismo, a Lei de Crime de Desordem em Local Público, a Lei Geral da Copa e a Portaria Normativa do Ministério da Defesa, qualificando movimentos sociais como “forças oponentes”, evidenciam a farsa do suposto Estado Democrático de Direito que, de fato, é um Estado autoritário e policial.

A Frente Independente Popular não é um partido político. Surgida das jornadas de junho de 2013, defende os princípios de classismo, combatividade e independência, rechaçando a farsa eleitoral.

Defendemos o direito de resistência e rebelião das classes oprimidas e exploradas. Entendemos que cabe ao povo escolher os seus métodos de luta, de acordo com a situação concreta. Apesar de toda a manipulação, as manifestações não cessaram. Conclamamos o povo a permanecer nas ruas. A emancipação dos trabalhadores só poderá ser obra dos próprios trabalhadores.

Viva a luta da classe trabalhadora! Viva a luta do povo!
Frente Independente Popular – RJ, 14/02/2014.