Saudações aos que persistem!

Saudações aos que persistem!
Como é de costume, a Frente Independente Popular gostaria de saudar todas e todos aqueles que estiveram conosco na manifestação desse sábado, 28/06. De forma descarada o Estado brasileiro escancarou a farsa que é essa tal “democracia”, ao tentar impedir nosso direito de manifestação –o que, aliás, ocorreu em outros protestos em nossa cidade e em todo o país. Montaram um imenso cerco policial, incluindo helicópteros e dezenas de P2, achando que com isso seríamos presa fácil da sua armadilha. Mais uma vez se enganaram! Apesar de toda dificuldade o ato ganhou as ruas e manteve erguidas bem altas as bandeiras da rebelião popular, em repúdio à Copa da FIFA e em defesa do direito do nosso povo viver dignamente, direito esse diariamente violado nas filas dos hospitais ou nas favelas e bairros pobres, com a ação assassina dessa mesma Polícia que há pouco investiu covardemente contra nós.
Embora a repressão policial deva ser firmemente condenada e repudiada, queremos lembrar que o ato não foi apenas isso: defendemos nossas faixas, bandeiras, as mantivemos erguidas, e em vários momentos rompemos o cerco montado contra nós. Como a história nos ensina, onde há opressão há resistência.
“O risco que corre o pau corre o machado, não há o que temer,
Aqueles que mandam matar também têm que morrer!”.
Até a próxima!

Anúncios

Ato em resposta ao assassinato do menino Luís Felipe

ATO EM RESPOSTA AO ASSASSINATO DO MENINO LUÍS FELIPE (em Costa Barros) E AO EXTERMÍNIO DO POVO POBRE NAS FAVELAS.

https://facebook.com/events/639854446095594/

“A bala atravessou a cabecinha dele e ainda quebrou o o meu celular. Tenho certeza que foi tiro de policiais. Desde sexta-feira está tendo tiro direto lá (no Morro da Quitanda).” Mãe de Luís
.
“A auxiliar de serviços gerais Elizabete Gomes, de 32 anos, prima da mãe de Luiz Felipe, contou que, desde o início da Copa do Mundo, as operações têm sido constantes no Morro da Quitanda:
– Eles vêm na hora que querem. E agora acontece isso. Imagina você acordar e ver seu filho morto?”
.
NÃO VAI TER COPA! FIFA GO HOME!

Presos Políticos em São Paulo

Reproduzimos texto dos Advogados Ativistas sobre as (como sempre) arbitrárias prisões feitas pela PM em São Paulo no ato do último dia 23, a qual age para manter a lógica de criminalização dos protestos, das manifestações, da quebra so discurso único, custe o que custar. Haverá ato naquela cidade para a libertação dos presos politicos. (Links ao final)

Fotos e vídeos comprovam que presos em manifestação não portavam explosivos

24/06/2014 by admin

Após o término da manifestação de ontem, 23, em São Paulo, Fábio Hideki Harano e Rafael Marques Lusvarghi foram presos por policiais civis, sob a acusação de associação criminosa, incitação ao crime e porte de explosivo, consistente em suposta posse de um coquetel molotov. Segundo o Secretário de Segurança Fernando Grella, “Eles estão presos porque são os primeiros casos de ‘black blocs’ presos em flagrante por incentivar a prática de crimes. É a resposta da lei para esses indivíduos”

No vídeo abaixo, há a filmagem da prisão de Fábio. A contextualização da imagem, feita do início ao fim, a eleva ao patamar de prova judiciária, inclusive para padrões internacionais. Curiosamente, a revista pessoal realizada por mais de dois policiais não encontrou qualquer objeto ilícito, muito menos um explosivo.

Já Rafael, foi detido por quatro policiais com extrema brutalidade. Não estava de mochila e sua saia não possuía qualquer bolso capaz de esconder tamanha bomba. O vídeo de sua prisão também não revela nenhuma apreensão de artefato explosivo.
Veja o vídeo do momento da prisão e em seguida repare bem na galeria de fotos, em momento nenhum ele se utilizou de mochila ou meio que comportasse a guarda de artefatos explosivos.

Mais uma vez Rafael é visto na manifestação sem mochila.

No entanto, à noite, já no DEIC – delegacia responsável pelo inquérito das manifestações – “surge” um explosivo nos objetos de ambos. A acusação torna-se mais que estúpida, talvez criminosa, isto é, a possível realização de flagrante forjado pela Polícia Civil do Estado de São Paulo.

O Secretário de Segurança Pública, que em frente às câmeras, mais uma vez, vangloriou-se da “exitosa” ação policial, também é o responsável pelos rumos da corporação. Não por acaso, quando o DEIC destaca dezenas de profissionais para acompanharem o ato, o fazem por ordem. Quando o DEIC “apreende” objetos que nunca foram dos presos…

Pois fica a questão, quando a polícia, capitaneada pelo Secretário de Segurança, forja flagrante, qual a resposta da lei para esses indivíduos?
Polícia procura bodes expiatórios

As prisões destes manifestantes ocorrem em um momento oportuno para a Polícia Civil. O DEIC, departamento responsável pela administração de um inquérito que está investigando a vida de diversos manifestantes, ainda não conseguiu apresentar provas suficientes que emplacasse em uma ação penal contra qualquer deles.

A insuficiencia probatória, que já foi objeto de crítica de diversos órgãos de Direitos Humanos, demonstra a completa objetivação política de criminalização das manifestações populares dentro deste inquérito. O judiciário tem se demonstrado cauteloso e desconfiado quanto o material apresentado pela Polícia Civil, que vem tentando imputar a qualquer pessoa a qualidade de “Black Bloc”.

Após diversos casos envolvendo depredação de patrimônio e a baixa efetividade deste inquérito, a Polícia Civil tenta mostrar serviço durante as manifestações de rua. O DEIC destacou diversos investigadores de polícia e delegados para acompanharem o ato desta segunda-feira, dia 23, na procura de algum alvo em potencial que pudesse servir de exemplo de punição. Fato este resultou na detenção, ainda injustificada, de dois manifestantes, que permanecem presos.

Até quando acontecerá a exposição de manifestantes como bode expiatório midiático? O judiciário não se demonstrou conivente com os abusos perpetrados pelas polícias e com os interesses do governo diante da criminalização das manifestações. Entretanto, quando os mandantes serão responsabilizados por assassinarem a reputação social daqueles que são presos indevidamente e superexpostos nos telejornais?

Fonte: http://advogadosativistas.com/fotos-e-videos-comprovam-que-presos-em-manifestacao-nao-portavam-explosivos/

Ato: Evento no Facebook – https://facebook.com/events/249331161924311/

Camaradas da Colômbia prestam solidariedade à nossa luta

Mais uma mensagem de apoio e solidariedade internacional que nossa luta recebe. Dessa vez de camaradas da Colômbia:

“Bom dia

saudações fraternas

Somos estudiantes Colombianos y queremos manifestar nuestro apoyo a las justas luchas del pueblo brasilero, desde el trabajo realizado en universidades publicas de Medellín- Colombia agitando la problemática agudizada por la intervención imperialista de la gran empresa FIFA realizamos el siguiente video (https://www.youtube.com/watch?v=CGsU0LMYuw4) reconociendo la fuerza del pueblo oprimido de brasil pues es el mismo pueblo quien finalmente romperá sus cadenas.

Nosotros apoyamos desde la comunicación justa de los hechos acontecidos en Colombia “boletín estudiantil con animo de lucha” (http://issuu.com/conanimodelucha)

Adiante mates!”

No va a haber copa (não vai ter copa)

Avaliação da FIP sobre as primeiras manifestações durante a copa e próximos passos

Nada a temer senão o correr da luta! Todos às ruas 28/06!

Avaliação da FIP-RJ sobre as primeiras manifestações durante a Copa e próximos passos

A Frente Independente Popular do Rio de Janeiro (FIP-RJ) vem a público saudar as companheiras e os companheiros que participaram, conosco, das primeiras manifestações ocorridas durante a Copa da FIFA, no dia 12/06 em Copacabana, no dia 15/06 nos arredores do Maracanã e novamente em Copacabana, no dia 23/06, quando compomos o ato convocado por diversas comunidades com o tema “A festa nos estádios não vale as lágrimas nas favelas”. Cada ato tem a sua história, mas todos eles, dentro das suas características, somam para a causa comum de não permitir que a farra da FIFA passe em clima de “unanimidade” como falsamente tenta demonstrar o governo brasileiro e os monopólios de imprensa. Ao contrário: há manifestações diárias pelo país, e não é senão com base num verdadeiro estado de sítio que tem se realizado o corrupto torneio de Blatter & Cia.

Apesar do atraso, gostaríamos de saudar, particularmente, as mulheres e homens que no dia do primeiro jogo da Copa no Rio (15/06) enfrentaram com coragem o terrorismo de Estado e o cerco policial montado para impedir o povo de exercer seu legítimo direito de manifestação, conseguindo romper o perímetro imposto pela FIFA e chegar a uma quadra do Maracanã. Apesar do verdadeiro aparato de guerra movido pelo Estado, apesar do bombardeio contra nós despejado praticamente desde o início da manifestação, apesar dos tiros de munição letal disparados por policiais, o povo combatente não arredou pé e soubemos vencer, com nossa determinação e organização, todos os obstáculos erguidos no nosso caminho. Os que lá estavam podem, com toda razão, dizer que participaram de um dia histórico! Ainda sobre o ato do dia 15, queremos saudar especialmente o companheiro Edson Rosa, agredido por covardões ao término do protesto, manifestando nossa repulsa por esses valentões que não sabem demonstrar a mesma disposição quando o povo está coeso e organizado.

Diferentemente do que dizem muitos, os atos por onde passam têm recebido apoio popular. Os que por qualquer razão não podem comparecer às manifestações nos ajudam de diferentes maneiras, inclusive repercutindo a cotidiana violência policial e a resistência que cada vez mais o povo opõe a ela. Ressaltamos também, com os punhos erguidos, solidariedade aos nossos irmãos argentinos e chilenos que, ao ocuparem o Maracanã, desmoralizaram perante o mundo inteiro o governo brasileiro e a FIFA, com suas mentiras de que a Copa no Brasil é um evento “popular”.

Se há algum legado da Copa esse não é outro senão a generalização da insatisfação e dos protestos populares por todo o Brasil. Apesar do bombardeio midiático sem igual em nossa história recente, o entusiasmo pelo torneio nem se compara com outros realizados em diferentes países e continentes, e nenhum governante se atreve a comparecer aos estádios por medo das vaias certas. A “Copa das Copas” não existe, de fato, demonstrando o êxito da palavra-de-ordem combatente de “Não vai ter Copa!”. As mobilizações só não são maiores pela ação traidora da “esquerda” eleitoral e oportunista. Visando enganar suas bases prometeram que na Copa haveria luta e, entretanto, o que vemos? As greves que haviam, algumas em setores estratégicos, com real capacidade de pressão, foram por esses setores sabotadas, como a ação desmobilizadora da CSP-CONLUTAS junto aos rodoviários do Rio. A greve da educação somente segue por pressão da base pois, na última assembléia, PT, PSOL e PSTU votaram juntinhos pelo seu término. O Comitê Popular Copa-Olimpíadas está literalmente de férias e, se não fosse pela iniciativa da FIP-RJ e outros setores independentes, o Rio de Janeiro, local onde os protestos populares mais avançaram em 2013, estaria em plena Copa deitado eternamente em berço esplêndido.

Concluímos fazendo um chamado a todas e todos para que contribuam a construir o calendário “Não vai ter Copa!-Fora FIFA!-FIFA GO HOME!” proposto pela FIP-RJ. Em particular nosso próximo ato no dia 28/06, quando voltaremos ao Maracanã. Pela responsabilidade que temos com o movimento popular, e considerando o Estado de exceção que vivemos, decidimos convocar atos em intervalos que nos permitam a melhor divulgação e organização possíveis. Queremos destacar, contudo, que estamos prontos a apoiar todas as iniciativas que visem desmascarar a farsa da Copa da FIFA e do oportunismo, acumulando para um grande ato combatente na final, a 13/07.

Todos ao ato de 28/06 no Maracanã!

Não vai ter Copa! Fora FIFA!

“Não me leve a mal, no Rio de Janeiro não vai ter final!”

Viva a Frente Independente Popular!

Rio, 24/06/2014.